Reprodução

01/12/2015 21:31

Reprodução

O início da vida reprodutiva das fêmeas começa perto dos cinco meses, quando ela começa a ciclar. O cio dura três a quatro dias e acontece, em média, a cada 35 dias. Ela também tem o cio pós-parto, assim que dá cria. Por serem pequenas, as chinchilas são colocadas em cria a partir dos oito meses, quando tem abertura de bacia suficiente para parir. Fêmeas muito pequenas têm dificuldades em partos seguidos, sendo necessário auxílio veterinário constante. O peso não é um fator decisivo, mas o ideal é que elas tenham, no mínimo, 350 gramas para serem postas em cria. A gestação dura 111 dias e, normalmente, nascem dois filhotes por parto. O cio pós-parto deve ser aproveitado somente em casos de um ou dois filhotes, do contrário teremos fêmeas descalcificadas e com pouco leite. O período de amamentação depende de quantos filhotes nasceram: um filhote, desmame aos 30 dias, dois filhotes, desmame aos 40 dias e, 3 ou mais, desmame aos 50 dias. Depois deste período, não adianta mais deixá-los com a mãe, pois já estão se alimentando de ração e a produção de leite da fêmea é mínima. Não desmamar adequadamente pode trazer riscos a saúde da mãe. Para perpetuar a espécie, as chinchilas possuem dupla gestação, ou seja, podem gestar diferentes coberturas nos dois cornos de útero que possuem. Elas podem engravidar mesmo depois de prenhas. Isto explica o fato de, às vezes, nascerem filhotes grandes junto com outros muito pequenos, que são frutos da segunda gestação. Os machos também entram em cria aos oito meses, mesmo produzindo sêmen desde os cinco. Nos Andes, eles são monogâmicos, porém é possível colocá-los com mais de uma fêmea. Conforme estudos canadenses e americanos de 70 anos atrás, o limite para que um macho consiga produzir bem são seis fêmeas. Este conjunto de um macho e seis fêmeas é chamado hoje de família. O exame do anel de pêlo no pênis do macho é fundamental para os reprodutores. Normalmente, o macho faz a higiene sozinho, mas alguns não conseguem, ficando tal tarefa a cargo do dono. O anel se forma quando o macho tenta a cobertura e a fêmea não o aceita. Ele passa o pênis nas costas da fêmea, formando este anel de pêlo na base do membro, que, além de impedir a cópula, ainda pode levar a infecções graves. Se você tem dúvidas sobre este procedimento, entre em nossa seção Pergunte ao Veterinário. Depois de formados os pares ou as famílias, eles podem conviver por toda a vida. O declínio reprodutivo começa aos seis anos e, normalmente, eles produzem até os dez anos, tanto os machos como as fêmeas.

 
 

—————

Voltar