Gravidez psicológica na coelha

13/07/2014 09:03

O que é a gravidez psicológica

A gravidez psicológica caracteriza-se por um conjunto de sintomas semelhantes ao da gravidez, sem contudo haver concepção e desenvolvimento do embrião. Inclui-se o desenvolvimento mamário e produção de leite, aumento do tamanho da barriga, ganho de peso, alterações de comportamento, etc. A coelha pode começar a construir o ninho com pêlo que tira do corpo, ficar mais agressiva ou mais mansa do que o normal, ficar com a barriga inchada... 

O que acontece em situações normais

Como se sabe, a ovulação numa coelha é despoletada por acontecimentos, como por exemplo a presença de um coelho macho (ou outro animal qualquer do sexo masculino). Quando isso acontece, no local do ovário de onde saiu cada um dos óvulos forma-se um corpo que vai ser responsável por produção de hormonas (corpo lúteo). Caso haja fecundação (encontro do óvulo com o espermatozóide) esse corpo lúteo vai continuar a produzir hormonas durante a gravidez. Caso não haja fecundação ele vai regredir ("desaparecer") e deixa de produzir hormonas. 

O que acontece numa gravidez psicológica

Numa gravidez psicológica, apesar de não haver fecundação, o corpo lúteo não desaparece. Assim ele vai continuar a produzir hormonas, enganando o corpo que vai reagir como se estivéssemos na presença de uma gravidez normal. Assim vão aparecer os sintomas da gravidez sem ela, de facto, existir.

O que leva a que o corpo lúteo não desapareça ainda está em estudo, mas parece estar relacionado com um complexo situado perto da nuca, chamado complexo hipotálamo-hipófise, que é responsável pela regulação de hormonas, existindo outros estudos que afirmam que o útero está intimamente relacionado com o tempo de existência do corpo lúteo. Outros estudos há que demonstram que situações de stress podem provocar esta situação, assim como ansiedade. 

Perigos da gravidez psicológica

A pseudogestação tem um grande perigo: tumores mamários e mamites devido a leite não completamente absorvido. Por isso coelhas em que isto é recorrente podem, na grande maioria dos casos, desenvolver cancro. Além disso podem também ocorrer infecções uterinas que normalmente são detectadas demasiado tarde.

O que fazer

Se as situações forem recorrentes, o melhor a fazer é esterilizar a coelha.

E, citando Isabel Alves:

A gravidez psicológica não tem origens 'psicológicas' mas sim hormonais. Assim, a história do 'aborrecimento', 'vontade de ter filhos' ou 'saudade dos filhos' é perfeitamente absurda [embora muito enraizada e muito 'vox populi']. E a única maneira de as evitar é a esterilização. Ponto final.

 

Fonte: fanaticosporalfafa.blogspot.com.br/2011/09/gravidez-psicologica-na-coelha.html?m=1

—————

Voltar