Gerbo ou Esquilo-da-Mongólia

09/08/2014 23:09

O Gerbo ou esquilo-da-mongólia (Meriones unguiculatus) é um dos roedores que entrou para o mundo dos mascotes. Aparentemente este minúsculo animal é fisicamente similar ao hamster, com quem guarda um grande parentesco, necessitando no entanto de alguns cuidados muito diferentes de seus semelhantes. Se trata de um roedor com muito caráter que, quando se sente mimado e querido se comporta amistosamente, e relaciona-se bem com seu dono.

No princípio era utilizado como cobaia, mas devido à suas qualidades surpreendentes, acabou se tornando um dos roedores de estimação mais populares na América do Norte.

Sua origem é da Mongólia, lugar de clima seco e paisagens desérticas. Estes antecedentes marcam suas necessidades e costumes, muito diferentes do restante de sua espécie. Um exemplo clássico é seu local ideal para morar, já que as jaulas não são recomendadas como alojamento para este pequeno companheiro, devido ao fato de machucar o seu nariz com as grades e jogar toda a forragem para fora por sua tendência a escavar. Pode-se criá-lo em uma gaiola, mas o recomendável seria algo como um aquário ou terrário de vidro com um pouco de forragem que ele possa escavar e fazer seus "túneis".

Ele se alimenta de sementes e grãos de cereais, vegetais frescos e frutas.

Na década de 1930, dezenas de gerbos da Mongólia e Manchúria foram capturados e levados aos Estados Unidos e ao Japão. Os gerbos americanos foram vendidos à Inglaterra e ambos os países exportaram as crias para diversas regiões.

 

Manejo:

Devem ser criados em pequenos grupos ou em pares, evitando-se criar um gerbo sem um companheiro. O ideal dois machos ou duas fêmeas, pois reproduzem-se continuamente. Não se deve dar banhos no gerbo, isso pode provocar problemas sérios de saúde, por exemplo, pneumonia. A limpeza da gaiola é feita retirando-se a forragem antiga e substituindo-a por nova. Pode-se passar um pano úmido e continue passando álcool (sem o animalzinho dentro da gaiola), ou lave com detergente, como lavaria uma bandeja. Evite dar tecidos, algodão e plásticos, pois ele pode ingerir e morrer por obstrução gástrica. Dê papelão e madeira para ele roer. Porém, nunca dê madeira de cedro ou pinus, que contêm gases tóxicos para os pequenos roedores e causam alergias e infecções respiratórias. Os dentes incisivos dos roedores crescem continuamente, portanto, roer é um hábito saudável. Ponha galhos ou cascas de árvores na caixa dele. Isso distrai o animal e desgasta os dentes. Os dentes só vão crescer sem parar se as mandíbulas estiverem fora de alinhamento, daí é uma condição patológica - nesse caso o dente necessitará ser aparado por um veterinário.

—————

Voltar