Coelhos não são presentes de Páscoa

08/10/2013 00:38
Nem sempre eles têm olhos vermelhos e pelos branquinhos, mas coelhos são lindos e muito lembrados nesta época do ano. Diante do encantamento das crianças por eles, alguns pais planejam trocar os tradicionais ovos de chocolate pelos amiguinhos orelhudos como presente de Páscoa. No entanto, de acordo com o site americano Whas 11, a ONG Humane Society, dos Estados Unidos, está pedindo para que chocolates em forma de ovo ou de coelho sejam dados às crianças em vez de animais de verdade. Eles explicam que coelhos são animais de estimação e não duram apenas durante a Páscoa.
 
De acordo com Adam Goldfarb, diretor do programa Pets em Risco, da Humane Society, as pessoas geralmente não pensam no tamanho do comprometimento que um animal desses exige. Os adoráveis bichinhos, quando filhotes, precisam de necessidades nutricionais específicas e, como se tornam adultos rapidamente, devem ser tratados diariamente. Segundo o site do tabloide britânico Mirror, os cuidados com o pet podem custar até mil libras esterlinas por ano, o equivalente a 2,7 mil reais.
 
Os pais também devem estar atentos se as crianças vão zelar pelo bem dos animais, uma vez que as orelhinhas são convidativas a um puxão. Os coelhinhos também não podem ficar presos em gaiolas por muito tempo, nem deixados na garagem de casa.
 
Todos os anos, os abrigos americanos recebem pets de Páscoa que foram abandonados depois que seus donos perderam o interesse ou não tiveram condições de cuidá-los. Infelizmente, muitos são sacrificados.
 
Portanto, antes de adquirir um coelho, a família deve conhecer os hábitos e as necessidades do animal e ponderar se conseguirá ou não cuidar dele, para que, futuramente, o pet não seja abandonado.
 

Casa ou apartamento?

 
Os coelhos domésticos são animais extremamente adaptáveis, tanto em casa como em apartamento, no interior ou exterior da residência. Normalmente, não exigem grandes espaços para criá-los, mas precisam que o local seja utilizado de maneira adequada.
 
“As gaiolas devem possuir no mínimo 90 cm (comprimento) x 60 cm de largura e 50 cm de altura, para que ele possa ter um lugarzinho confortável para dormir e comer”, indica o veterinário do Pet Center Marginal, Danilo Kluyber. “As gaiolas ou o local que ele permanecer deve dispor de uma toca para que ele se esconda quando não quiser se expor ou preferir descansar sem ser incomodado”, completa.
 
Segundo o especialista, mesmo os animais que vivem em gaiolas precisam de algumas horas do dia soltos para se exercitarem e explorarem lugares novos. Mas são necessários alguns cuidados para evitar que eles roam objetos da casa.
 
“Apesar de não serem da mesma ordem dos roedores, os coelhos também apresentam o hábito de roer o que encontram pela frente pelo simples fato da necessidade de gastar os dentes que apresentam um crescimento contínuo por toda a vida”, explica Kluyber.
 

Higiene e alimentação

 
A gaiola e a bandeja em que o animal vive devem ser higienizadas diariamente e o substrato utilizado também precisa ser trocado diariamente para evitar que o animal durma sobre a cama suja. “Alguns coelhos podem aprender a fazer suas necessidades em um local ou apenas dentro da gaiola. Mas quando soltos pela casa, certamente irão deixar seus rastros por onde andarem”, alerta o veterinário.
 
Quanto à alimentação, os coelhos necessitam de uma dieta com alto teor de fibra. Hoje, rações de boa qualidade disponíveis no mercado suprem todas as necessidades nutricionais do animal, considerando que a maior parte da sua alimentação deve ser de folhas e frutas, feno e ração.
 
“O feno de boa qualidade tem cheiro agradável, cor verde e sem poeira e deve ser fornecido em grande quantidade, pois promove um bom funcionamento intestinal, além de estimular a mastigação constante, que é ideal para o desgaste correto dos dentes do pet”, diz Kluyber. “No entanto, deve-se evitar o fornecimento exclusivo de feno de alfafa pelo alto teor de cálcio. Já as verduras devem ser fornecidas diariamente, com exceção dos filhotes, que devem receber quantidade gradativa para evitar diarréia”, completa.
 

Facilmente adaptável

 
O coelho é um animal extremamente dócil e sociável com seu dono e também pede atenção e carinho. “Sempre indicamos a criação para crianças maiores que cinco anos, pois elas apresentam maior sensibilidade e cuidado na hora de manipular o animalzinho. Se a criança o segurar de qualquer jeito ou apertá-lo, o animal pode mordê-la na tentativa de se defender ou pode sofrer um acidente grave quando carregado no colo”, explica o veterinário.
 
Deve-se, também, evitar manipulá-lo em dias muito quentes, pois se permanecer no colo por muito tempo pode desidratar e morrer devido a sua sensibilidade ao calor. “Não existe um tipo de criança ou adulto mais indicado para ter esse tipo de animal, e sim aqueles que cuidam adequadamente do seu pet”, finaliza o veterinário.

—————

Voltar