Alongamento dental e má oclusão em Porquinho da Índia

28/05/2016 21:13
Alongamento dental e má oclusão em Porquinho da Índia: relato de caso - Edição nº 88
 
RESUMO: Os problemas dentais de porquinho da Índia são conhecidos há muitos anos e incluem alongamento dentel, má oclusão, trauma em mucosa oral e formação de abscesso. Má oclusões desta natureza podem ser resultado de fatores genéticos, traumáticos, tipo de dieta e causa iatrogênica. Hábitos alimentares em porquinho da Índia devem ser considerados como um dos principais fatores potencialmente capaz de iniciar a má oclusão. Este artigo tem como objetivos mostrar os problemas dentais, oferecer informação nutricional e hábitos alimentares que podem ser benéficos para estes roedores, e em seguida, apresentar um relato de caso, descrevendo o tratamento dentário de um porquinho da Índia com alongamento dental e trauma oral.
 
Unitermos: roedores, má oclusão, cresecimento excessivo dos dentes e porquinho da Índia 
 
ABSTRACT: Dental problems of guinea pigs have been recognized for many years, including tooth elongation, malocclusions, oral trauma and abscess formation. Malocclusions of this nature may result from genetic, traumatic, dietary and iatrogenic causes. Dietary habits in guinea pigs must be considered as one of the major potential factor in initiating malocclusions. This article aimed to show the dental problems, dietary information and eating habits can be beneficial for this rodents. This is followed by a case report describing the dental treatment of a guinea pig with tooth elongation and oral trauma.  
 
Keywords: rodents, malocclusion, overgrowth of the teeth, guinea pigs
 
RESUMEN: Los problemas dentales de los conejillos de indias se conocen desde hace muchos años e incluyen la elongación de dientes, maloclusión, traumatismos de la mucosa oral y la formación de abscesos. Las maloclusiones de este tipo pueden deberse a factores genéticos, traumáticos, a la dieta y iatrogênicos. Los hábitos alimentarios em los conejillos de indias deben ser considerados como uno de los principales factores potenciales en el inicio de las maloclusiones. Este artículo pretende mostrar los problemas dentales, proporcionar información nutricional y los hábitos dietéticos que pueden ser beneficiosos para estos roedores, y luego presentar un informe de caso que describe el tratamiento dental de un conejillo de india con elongación de dientes y traumatismos orales.
 
Palabras clave: roedores, malocclusion, crecimiento excesivo de los dientes, conejillos de indias 
 
Introdução
 
Devido à crescente popularização dos porquinhos da Índia como pets, os médicos-veterinários precisam estar preparados para os desafios que enfrentarão no atendimento desses pacientes, devido às características únicas da cavidade oral e estruturas dentais dos roedores1. Radiografias são essenciais para avaliar o plano oclusal dessa espécie e o conhecimento da anatomia normal é fundamental para sua interpretação2.  
O porquinho da Índia apresenta dentição heterodonte, elodonte, arradicular hipsodonte, ou seja, tanto os dentes anteriores quanto os posteriores têm crescimento contínuo ao longo de toda a vida e não desenvolvem raiz anatômica1,3. O forame apical destes dentes permanece aberto ao longo da vida e o comprimento aumenta junto ao ápice, mas sua posição no alveolo permanece estacionada, ocorrendo extrusão intra-oral4. A porção supragengival é a coroa clínica, enquanto a porção subgengival é a coroa de reserva1,5 e as duas juntas formam a coroa anatômica1. A formação contínua dos dentes se equilibra com a atrição dental durante a mastigação e devido a esse desgaste o comprimento permanece constante4,6. 
A fórmula dental para o porquinho da Índia é: 2x (I 1/1, C 0/0, P 1/1, M 3/3) = 20, sendo I (incisivo), C (canino), P (pré-molar) e M (molar)1,4,5. Evidências mostram que a oclusão inapropriada e a composição da dieta associada com as condições em cativeiro podem ser responsáveis pelo alongamento dental e doença na cavidade oral5. Essas condições de má oclusão afetam a saúde do animal e fazem o proprietário buscar ajuda de um especialista em odontologia veterinária2. Sendo assim, este artigo tem como objetivos descrever os problemas orais mais frequentes em porquinho da Índia, fornecer informações sobre dieta e consistência do alimento, mostrar as técnicas de tratamento e apresentar um relato de caso de porquinho da Índia com alongamento dental e desnível oclusal.
 
Problemas orais e sinais clínicos
 
Má oclusão adquirida, alongamento de raiz dos incisivos6 e alongamento das coroas clínica e de reserva, juntamente com a extensão dos ápices dos dentes para os tecidos periapicais, podem promover um aumento de volume palpável na superfície ventral da mandíbula, embora isto seja mais freqüente em outros roedores do que em porquinho da Índia que apresenta predomínio de crescimento dental intra-oral5. O desgaste irregular da superfície oclusal dos dentes leva a formação de pontas dentais, sendo que os dentes da mandíbula apresentam pontas direcionadas para língua que, dependendo do comprimento, formam um arco prendendo-a. Da maxila formam pontas direcionadas para vestibular, causando lesões nas bochechas e dor na cavidade oral2,5.
 
O alongamento dental em porquinho da Índia pode resultar em incapacidade de fechar completamente a boca5.
São vários os problemas orais que os roedores podem apresentar, mas independente da causa, os sinais clínicos são sempre os mesmos: perda de peso, anorexia, sialorreia, incisivos alongados, abscessos faciais, presença de substâncias grosseiras nas fezes, secreção ocular e exoftalmia2,5.
 
Dieta e tipos de alimento
 
Os porquinhos da Índia são considerados herbívoros verdadeiros pouco especializados e sua principal fonte de alimento na natureza são as gramíneas, como a braquiária5. Em cativeiro, porém, muitas vezes recebem somente concentrado ou alimento industrializado na forma de grãos ou peletes que têm consistência macia e não possuem textura suficientemente abrasiva como o vegetal (fibras vegetais), fazendo com que o animal reduza a quantidade diária de mastigação2,5.
Dietas com maior conteúdo energético e menor teor de fibra permitem ao animal mastigar um volume menor de alimento5. Se o paciente não mastiga vigorosamente ou o tempo gasto com a mastigação é insuficiente, não ocorre o desgaste natural dos dentes, consequentemente forma-se alongamento dental2,5. O estresse do confinamento e a alteração ambiental também podem afetar a saúde oral dos pets roedores, pois em vida livre os porquinhos da Índia são originários de regiões áridas, com vegetação resistente e fibrosa, rica em silicato e contaminada com poeira do solo. Este alimento altamente abrasivo e de baixo teor energético é ingerido em grande quantidade para atender às necessidades nutricionais dos animais, resultando em desgaste acentuado dos dentes5.
Outras causas de problemas orais que podem ser citados são os fatores nutricionais, como por exemplo, a deficiência de vitamina C e selênio em excesso, deficiências metabólicas e fatores genéticos1,5.
 
Tratamento
 
O tratamento consiste no desgaste dental e ajuste oclusal, respeitando a angulação natural que existe nos pré-molares e molares de aproximadamente 30º em relação ao plano horizontal5, além de mudança da dieta para que seja mais abrasiva a fim de prevenir recorrência ou pelo menos aumentar o intervalo entre os procedimentos2,5. 
A técnica é feita com anestesia geral inalatória do paciente e o exame odontológico é possível com a utilização de abridor de boca para facilitar a visualização da cavidade oral, afastadores de língua e espátula para proteger as mucosas1. O desgaste normalmente é feito com a caneta de baixa rotação e peça-de-mão reta, usando brocas com pontas diamantadas para os dentes pré-molares e molares e discos diamantados para ajuste dos incisivos1,2. Ao final, outra radiografia de crânio deve ser feita para verificar se o desgaste foi suficiente2. 
Como os dentes mantêm crescimento e erupção contínuos, a situação é dinâmica e o proprietário deve ser informado de que podem ser necessários diversos tratamentos ao longo da vida do animal2.
 
Relato de caso
 
Um porquinho da Índia, 2 anos e 10 meses, fêmea, 0,720 kg, foi atendida no Odontovet - Centro Odontológico Veterinário para avaliação da cavidade oral. A proprietária relatou que o animal mudara o comportamento há uma semana, apreentava hiporexia, mostrava seletividade de alimentos, mastigava lentamente e rangia dentes posteriores. O último desgaste dental havia sido feito há três meses.
Ao exame clinico foi diagnosticado alongamento dos dentes incisivos inferiores. Como o exame clínico dessa espécie é dificultado pela pouca abertura da boca, devido principalmente às estruturas de tecido mole, foi feito exame radiográfico do crânio. Para tanto foi necessário a realização de anestesia geral, com o seguinte protocolo: quetamina (0,07 ml/IM) + midazolan (0,07 ml/IM) e a manutenção feita com isoflurano (Figura 1). A radiografia mostrou alongamento dental dos pré-molares e molares (Figura 2). A paciente foi colocada em mesa própria para desgaste dental de roedores e lagomorfos e após o uso de abridores de boca (Figura 3) foi observado alongamento dental tanto na maxila quanto na mandíbula, com pontas dentais em direção à língua (Figura 4). O desgaste foi realizado com uso de caneta de baixa rotação e peça-de-mão reta com broca laminada para pré-molares e molares e disco diamantado para os incisivos (Figura 5). Após o tratamento (Figura 6), outra radiografia de crânio foi realizada para comparação (Figura 7). Para pós-operatória foi prescrito dipirona gotas (1 gota/24h/10 dias).  
 
Conclusão
 
Os problemas dentais mais comuns em porquinho da Índia são: má oclusão e alongamento dental. Na maioria dos casos, a dieta é o fator determinante para esta afecção se desenvolver. Como essa espécie apresenta crescimento dental contínuo ao longo de toda a vida, a mastigação de alimentos fibrosos, pouco calóricos e em grande quantidade se faz necessária para promover o desgaste dental. O tratamento com médico-veterinário especializado em odontologia precisa ser realizado quando somente a mudança de manejo não é suficiente para manter o equilíbrio e preservação da saúde oral do paciente. :
 
Referências
 
1 - WIGGS, R.B.; LOBPRISE, H.B. Veterinary dentistry: principles and practice. Philadelphia: Lippincott-Raven, 1997, 748p.
2 - LEGENDRE, L.F.J. Malocclusions in guinea pigs, chinchillas and rabbits. Can. Vet. J., v.43, p.385-390, 2002.
3 - CROSSLEY, D.A. Clinical aspects of lagomorph dental anatomy: the rabbit (Oryctolagus cuniculus). J. Vet. Dent., v.12, p.137-140, 1995.
4 - KERTESZ, P. A colour atlas of veterinary dentistry & oral surgery. Aylesbury: Wolfe, 1993, p.35-50.
5 - REITER, A.M. Pathophysiology of dental disease in the rabbit, guinea pig, and chinchilla. J. Exot. Pet Med., v.17, n.2, p.70-77, 2008.
6 - OKUDA, A.; HORI, Y.; ICHIHARA, N.; ASARI, M.; WIGGS, R.B. Comparative observation of skeletal-dental abnormalities in wild, domestic, and laboratory rabbits. J. Vet. Dent., v.24, p.224-229, 2007.

 

 

FONTE: www.nossoclinico.com.br/Alongamento-dental-e-ma-oclusao-em-Porquinho-da-India--relato-de-caso---Edicao-n%C2%BA-88/33/artigos.aspx

—————

Voltar