Abscessos em coelhos (Lagomorfos)

07/03/2015 13:25

Abscesso é uma cavidade formada pela desintegração do tecido que contém um exudato purulento caseso.

Pus é o produto da supuração o qual é um processo inflamatório que ocorrre na presença de organismos piogênicos que resistem a fagocitose. O pus consiste de fagócitos mortos, predominantemente neutrófilos, exudato inflamatório, bactérias e restos celulares.

Eventualmente o abscesso torna-se cercado por uma cápsula fibrosa composta por fibroblastos e células inflamatórias, com uma camada interna de neutrófilos degenerados. O abscesso aumenta ao longo da linha de menor resistência e podendo romper-se através da pele  ou dentro da cavidade corporal, secretando pus, bactérias e toxinas. A intervenção cirúrgica para proporcionar a drenagem pode resolver o processo de supuração ou o mesmo pode cronificar-se.

Abscessos crônicos são refratários ao tratamento. Reabsorção de água pelo pus resulta em um material caseoso denso dentro da cavidade do abscesso. A presença de alguns tipos de materiais estranhos dentro do abscesso abriga bactérias que tem um efeito inibitório ou toxico nos neutrófilos. Antibióticos não podem penetrar nas cavidades dos abscessos devido a sua pobre vascularização.

Supuração crônica é comum em coelhos. O mesmo cresce lentamente, é bem encapsulado, e desenvolve-se relativamente sem dor. A Pasteurella multocida é frequentemente isolada. Essa bactéria possui uma cápsula de polissacarídeos que resistem a fagocitose. Pasteurella multocida pode residir na microbiota nasal de coelhos assintomáticos e espalhar-se para outros locais durante a autolimpeza. As infecções secundárias no tecido danificado por outras causas como incisões cirúrgicas, mordidas, traumas, feridas profundas, corpos estranhos, geralmente resultam na formação de abscessos.

Depois que um abscesso primário se torna estabelecido, pode disseminar-se pela via hematógena para outros lugares ou espalhar-se localmente pela via linfática resultando na formação de abscessos secundários.

Nos animais reprodutores, a transmissão venérea e injurias no trato genital podem resultar em abscessos desenvolvidos no sistema reprodutor.

 

Em coelhos de estimação  os abscessos são as vezes relatados como consequência de odontopatias. Os abscessos periapicais são comuns e resultam em osteomielites extensas. Microabscessos formam-se dentro do osso.

Os abscessos  podem ser classificados de acordo com a aparência clínica e características  O prognóstico varia com o tipo de abscesso e cada tipo requer uma diferente aproximação. Em coelhos o abscesso parece não ser doloroso e o animal pode comer bem e não ter depressão.

Sintomas e tipos de

Um abscesso é geralmente o sintoma secundário de outro problema de saúde, assim, os sintomas podem variar, dependendo da causa primária. Por exemplo, se o abscesso é resultado de uma doença dental, sintomas adicionais podem incluir secreções expelidas pelo nariz ou olhos, anorexia, e depressão. Um exame físico por um médico veterinário é necessária para detectar sintomas adicionais e diagnosticar a causa exata.

Causas

Existem muitas causas que podem levar à presença de abscessos. Uma causa principal é a doença dentária decorrente de uma alimentação apresentado nos dentes ou gengivas. Outra causa é a infecção bacteriana, como Fusobacterium nucleatum. Estes casos são muitas vezes relacionados com doença dentária ou abscessos na boca. Existem muitos outros tipos de bactérias que levam a abscesso, incluindo Pasteurella multocida, Staphylococcus aureus, e Streptococcus spp. Mordidas e objetos estranhos perfurando a pele também levar a abscessos.

Alguns fatores de risco pode aumentar as chances de desenvolver abscessos. Por exemplo, alongados dentes bochecha (conhecido como mandíbulas) pode desenvolver a partir de uma dieta deficiente alimentação grosseira, e pode levar à formação de abscessos.

Diagnóstico

Os procedimentos de diagnóstico realizados exata vai depender da localização do abscesso e quaisquer outros sintomas. Para coelhos com abscessos facial, uma análise aprofundada oral é fundamental para o diagnóstico. Outro procedimento diagnóstico comum é levar uma amostra de tecido da área afetada e teste para infecção bacteriana. Outros testes podem incluir análise de urina, Raios X, e ultra-sons para ver se os outros órgãos são afetados.

Tratamento

O tratamento vai depender do abscesso, localização e da causa subjacente. Mas o coelho pode ser tratada em casa com antibióticos. Se uma infecção bacteriana é a culpa ou se o caso é leve. Para casos mais graves, remoção cirúrgica do abscesso e cuidado hospitalar pode ser necessária.

Gestão

Atividade deve ser restrita até que todos os tecidos tenham sido devidamente curada. O paciente deve ser monitorado após o tratamento, e acompanhar as visitas ao veterinário — especialmente se a cirurgia foi realizada — são uma necessidade. Qualquer medicação prescrita deve ser administrada em uma base regular.

Prevenção

Em alguns casos, abscessos podem ser prevenidas em coelhos. Fornecimento de alimentos ricos em fibras e feno de boa qualidade, e, periodicamente, aparando coroas overgrown na boca pode prevenir a doença dental. Abcessos conjunta e pés podem ser evitados através do fornecimento limpo, superfícies sólidas no habitat do animal para casa. Uma dieta saudável e estilo de vida em geral, também é aconselhado.

 

FONTE 1: animalexotico.com.br/site/blog/2013/05/23/abscessos-em-coelhos-lagomorfos/#.VPslg-k5Dcf

FONTE 2: www.mosmoni.com/pt/1224.html

—————

Voltar